Domingo, 15 de Janeiro de 2012

Recantos de Vila Boa do Bispo (com filme)

Após algum tempo com as atenções desviadas para um projecto em curso, uma rota homologada (velho sonho) entre o mosteiro de Vila Boa do Bispo e o convento de Alpendurada, provisória ou definitivamente chamada de "Dois Rios Dois Mosteiros", as saudades da libertinagem que é uma caminhada à solta por velhos campos e caminhos com os companheiros de há tanto tempo, das conversas e asneiras com que constantemente nos agredimos, das fotos a tudo e a nada, do convívio com os amigos cães que nos falam ladrando e abanando o rabo, dos silêncios que não nos magoam... já eram tantas, tantas que, ao contrário do costume, num segundo marcamos hora e local para nos encontrarmos. Talvez o nosso recorde. Já não era sem tempo, já lá vão 13 anos a desentender-nos!

 

Logo pela manhã o Tiago Teixeira, nosso benjamim que anda agora a curtir umas caminhadas connosco, começou a sua empreitada de SMS a lembrar-me e a relembrar-me a hora a que eu tinha que o ir buscar. " Responde ao Tiago", insiste para eu não ter qualquer hipótese de me distrair e o deixar em terra. E eu não esqueço, nunca esquecerei, um colega assim, bem disposto e brincalhão, que ameniza os nossos passos e as nossas conversas, inventa e alinha nas nossas brincadeiras desde o esconde esconde até atirar uma laranja ao mais distraído que venha a trás.

Foi assim que nos juntámos às 9h00 da manhã junto à Fundação Santo António, à espera dos caminhantes Pé Ligeiro que tinham, vimos no facebook (coisa moderna que contrasta com os caminhos velhos que percorremos), combinado entre eles iniciar ali uma caminhada por terras de Vila Boa do Bispo. Da vontade de fazer uma surpresa aos colegas caminhantes (agradável ou não eles o diriam), passamos a um estado de desilusão. São tantos e não aparece nenhum? Oh Tiago o que é que achas, enganaram-nos? O Tiago pensou, mas foi rápido na resposta. "Esperem que eu já lhes vou chamar à atenção. Vou falar mesmo com o doutor quando estiver com ele."

Arrancamos sem destino, sem qualquer conversa prévia, há um magnetismo que direcciona os nossos pés e sintoniza a nossa alma. O Kim sabe, e o "irmão" Leitão não acredita, que cada um de nós é parte integrante do universo a que pertence, somos células constantemente recicladas, pertencemos à terra que pisamos e é dos seus frutos que nos alimentamos, terra por sua vez num processo de reciclagem contínua. É o sincrodestino que nos guia, nos leva pelos caminhos que devemos ir, caminheiros de ninguém, companheiros do mundo, parceiros da diferença, fogosos amantes da natureza!

Foi um passeio leve pela Lavandeira, Cavalhõezinhos, Outeiro, Cimo de Vila, Tenrais, Ausenda, Maninho, Fafiães, Ledouro... Leve porque curto, leve também porque não deu azo a grandes conversas metafísicas nem políticas, algo cansativo para o escrivão-mor que foi fazendo um registo em vídeo de várias passagens e ambientes.

Sem mais delongas, sem grandes histórias, que a dos cAmiNhEirOs de MerdA é feita de pequenas, fica aqui o apontamento em vídeo para as nossas memórias, que para as dos outros com certeza não interessa. A dedicatória vai inteirinha para o nosso recente e jovem colega e competente caminheiro Tiago Teixeira.

Tiago Teixeira (foto xapim)      O fime (realiz. xapim)

escrito por xapim às 22:06
link do post | comentar | favorito
|

I dream a visitor from Burkinafaso!!!

Flag Counter

VIVA CHILE! VIVA CHILE MIERDA!!!

silos

Fotos National Geographic

globo

contadores de visitas

textos recentes

Crónica de MerdA 3 (o sol...

Crónica de MerdA 2 (prego...

Crónica de Merda 1 (elefa...

Repato de Natal, sim, rep...

Bitetos continua a ser li...

O penedo que abana...

O berço, capital europeia...

O Douro sente-se...

Recantos de Vila Boa do B...

Aventura alucinante num d...

o último barco em bitetos

Um dia na Venda da Giesta

Um biteto, dois Bitetos, ...

É devido...

ligações